O Isolamento acústico em edifícios é regulamentado no Brasil  e faz parte da Norma da ABNT que entrou em vigor em Maio de 2012: A Lei 15.575 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que estabelecia requisitos, critérios e métodos de avaliação em edifícios habitacionais de até cinco pavimentos, agora foi revisada e vale para TODOS os edifícios novos.

A Norma da ABNT trouxe para o setor a regulamentação das condições mínimas que devem ser observadas para a vida útil do imóvel e para a qualidade de vida dos que nele residem ou trabalham. Semanalmente recebemos no site da Isoline muitas perguntas sobre isolamento acústico de apartamentos.

Para que haja um entendimento é necessário uma análise da Norma da ABNT para que o consumidor (comprador de imóvel) tenha condições de, se preciso, entrar com uma reclamação junto ao construtor do imóvel para reparos dentro do prazo especificado.

Associação Brasileira de Normas Técnicas

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou no dia 19 de Fevereiro de 2013 a NBR 15.575 – Edificações habitacionais – Desempenho.

As seis partes da normativa, que foram inicialmente publicadas em 2008, começaram a ser revisadas em janeiro de 2011 pelo Comitê Brasileiro da Construção Civil (CB-02). Os novos textos entraram em vigor no mês de julho de 2013.

De forma geral, a grande mudança da NBR 15.575 é sua abrangência, já que deixa de abordar apenas os edifícios de até cinco pavimentos e passa a tratar de todos os novos edifícios residenciais. A normativa também traz o conceito de vida útil variável dos sistemas.

Entre as suas seis partes, as áreas de pisos e vedações verticais internas e externas foram as que sofreram maiores intervenções. A norma ainda possui partes para requisitos gerais, estrutura, coberturas e sistemas hidrossanitários.

Isolamento Acústico em Edifícios, principais mudanças

Na NBR 15575-3, de pisos, a primeira mudança foi em relação à abrangência, que não se restringirá apenas aos pisos internos, mas também aos externos. A norma traz uma nova concepção do que é sistema de pisos e cada camada que o compõe, afetando os critérios de avaliação do dano e de segurança contra incêndio. A parte de desempenho acústico também foi revisada e um texto explicativo dos fatores que afetam o escorregamento foi adicionado à norma.

Já a NBR 15575-4, de vedações verticais internas e externas, os critérios relativos ao Estado Limite de Utilização ou de Serviço e os critérios relativos ao Estado Limite Último foram ressaltados. No caso das esquadrias externas, houve mudanças nas exigências ligadas à estanqueidade à água e nos requisitos de isolação a ruídos aéreos de fachadas, constando agora três situações a serem consideradas (locais pouco ruidosos, locais muito ruidosos e situação intermediária).

Nas vedações verticais internas, a principal modificação foi no tema de isolação a ruídos aéreos,  no qual foi substituído o critério relativo a isolação entre hall e apartamento, pelo critério relativo à isolação entre apartamentos, passando pelo hall.

 As seis partes da NBR 15.575 estão disponíveis no site da ABNT.